quinta-feira, janeiro 14, 2010

Marrocos

Ainda não tenho comigo as fotos todas. Não são muitas mais, mas sempre são algumas mais que estas.
Mas vá, estas servem para colorir a escrita.

Em jeito de vacances dei uma pulada a Marrocos logo a seguir ao fim-de-ano. A ideia foi dar um pouco ao chinelo em cima da bike e ainda dar um tirinho no Toubkal. Foi curtido, nunca tinha andado em autonomia com a bicicleta, tipo caracol. Marmita, saco-cama, tenda e um sem número de coisas que nem usei mas que não deixaram de me fazer puxar um nadinha mais pelo nervo do cú nas alturas que a estrada empinava.

Fiz-me ao caminho na companhia do Jonhy e aviámos 4 dias pelos arrabaldes do Atlas.
A forma de pedalar com a casa às costas é bem diferente da que eu estava habituado. O registo tem de ser bem mais tranquilo e menos sporty ou saltitante, o peso não dá grandes abébias.
Fomos pedalando umas 8-9 horas por dia, com algumas paragens para comprar pão, água e mais alguma coisa que surgisse.
A dormida foi variada. No primeiro dia deu para dormir ao relento – tava sol, acho eu – na segunda noite caiu-nos o céu em cima quando passámos para o lado de lá do Tizin Test e tomamos um banhinho prolongado. Acabámos a dormir na casa-em-construção-do-tio-do-tipo-que-tinha-um-tasco-aberto-na-praça-lá-do-sítio. Foi porreiro o tipo, cozinhou para a gente e até levou a conversa para os Profetas mas nessa altura optámos por ir dormir.
No dia seguinte o tempo melhorou e enfiámo-nos por uns trilhos bem engraçados que nos levaram de volta ao outro lado da montanha. O assunto levou-nos horas, o caminho estava pior que o chapéu de um pobre. O curtido é que já noite dentro chegámos a um ponto – sabe Alá onde - com uma ponte caída e que nos pareceu sem saída. Armámos a barraca e por ali esperámos pelos esclarecimentos que o sol nos traria. O astro rei foi esclarecedor e lá nos presenteou com umas vistas bem curtidas no vale onde estávamos. Nessa tarde já estávamos em Marrakech a preparar a mochila para no dia seguinte zarpar para o refúgio do Toubkal. Juntou-se a nós o Helder e a Sandra.

Na fase dois da viagem voltámos a levar com um temporal à séria. Logo a subida de Imlil para o refúgio custou-nos umas 7 horas debaixo de muita neve, vento e algum frio. Foi bom!

[Pior seria um gajo ter de ficar enfiado num escritório com um temporal daqueles, bem pior! Ali ao menos dá para um gajo se mexer e aquecer. Ou então ter de jogar à bola com aquele tempo… isso sim, era duro, e quem é que ia buscar a bola vale abaixo? Na bola sofre-se…]

No dia seguinte, face à meteorologia no refúgio só ficou o Helder e a Sandra, os checo-turcos que por lá estavam deram todos ao caneto para baixo. Eu e o Johny também já íamos a caminho quando tivemos uma epifania: o céu abriu, parecia tar vento e frio lá para cima mas que se lixe, siga.

[Pior seria ter de fazer um jogo de futebol lá no alto. Não era o caso por isso não havia razão para não subir, não é?]

Demos meia-volta, passamos pelo Refúgio, o Helder juntou-se e lá fomos os três por dali acima. Fomos assim p’lo flanco para fugir à possibilidade de levar com um rio de neve em cima e lá para cima já a coisa estava rapada pelo ventito que soprava. Uns 80Km/h com umas rajaditas de 120 (um futebolista ali ia sofrer mas a gente podia-se mexer…). Com o calor que estava (-15ºC) e a com o carinho que o vento nos ia dando optámos por dar nova meia volta e voltar ao refúgio para saber se lá havia chá. Havia. Não bebemos e fomos por ali abaixo até Imlil.

À noite estávamos em Marrakech a comer pizzas e no dia seguinte a caminho.

A bófia poupou-nos duas multas, não demos nada aos chatos da fronteira e voltámos a jantar pizza em Ceuta.

Ponto final parágrafo, agora vou ver se nado um bocadinho.
Beijinhos e abraços.














7 comentários:

RuiRuim disse...

Nice!

Sérgio Leal disse...

vá, que finalmente te fizeste homenzinho e te puseste a viajar de bicicleta ;) pronto, vá lá, da proxima levo-te comigo se prometeres nao chorar sangue ;) - http://biketrekking.no.sapo.pt/

abraco e saudades... ve se esse volante se vira para estes lados... Gostei de ler a tua aventura :)

rustman disse...

É bom saber que há vidas assim. dá-te por feliz, não teres de gastar o teu tempo a pontapear a bola e... a posar para o catálogo da Armani!

Abraço.

zm disse...

Tu é que a levas direita.
Grande malha.
ZM

Anónimo disse...

dasse! és mesmo um cristo!

Miguel Andrade disse...

Espectáculo! Isto sim é vida!

PaulAzinha disse...

Sim sr.. bonito :D
Como é? Dia 23 vens de bicicleta para a Estrela? ;)