quarta-feira, dezembro 19, 2007

O que não mata...

Engorda!!!

Pois, podia ser... mas a ideia não é bem essa. O que pretendo é falar do paralelo que se pode fazer entre algumas situações do desporto e questões do quotidiano. Umas das coisas mais bonitas que eu encontro no desporto é a forma como as acções em treino, mas sobretudo em competição, são passíveis de ser comparadas aos assuntos sérios que nos ocupam a cabeça todos os dias. Acredito mesmo que o desporto é uma escola de valores fantástica e que as pessoas que se entregam de corpo e alma, sacrificando-se dia após dias acabam por se tornar pessoas melhores. E ficam assim porque sabem o que custa, sabem o que custa dar o que se tem, mais o que não se tem, e no fim de contas ter recompensa alguma.
Tudo isso não nos mata, antes pelo contrário: engorda!! Nepes!!! Faz-nos muito mais fortes e capazes de estar lá no dia seguinte. Para corrigir, para melhorar, para se voltar à luta.

Em dias como o de hoje em que chove, faz frio, vento, tudo sai mal e o espírito fica cinzento (ou côr de burro quando foge) eu não podia encontrar melhor remédio que aviar séries na pista. No escuro, no frio, na chuva, a doer e sem conseguir cumprir com o idealizado on papel. E ainda assim pensar: "quanto mais sofreres aqui, menos sofres lá!".

Acho que na vida também tem de ser assim, quanto mais sofrermos aqui menos sofremos lá. Sejá o "lá" o que fôr, nem que seja lá ao dobrar da esquina.

Certinho, certinho, é o que um amigo muito muito batido e que muito admiro me dizia há uns tempos: "Nós só cá andamos por dois motivos: para procriar e para ser felizes". A mim o desporto e o sofrer no treino ajuda.

3 comentários:

Krepe disse...

Acho que a isso, chama-se disciplina. :-)

Krepe disse...

Acho que a isso, chama-se disciplina. :-)

zm disse...

Eu estava lá. Confirmo que as condições não estavam famosas.
Parecíamos 3 morcegos à volta da pista. Por vezes ouvia os passos do Carmo a aproximarem-se e chegava-me para fora para deixar passar quem trabalha.
Foi magnífico.
Bom Natal!
Um abraço.

ZM