quarta-feira, novembro 19, 2008

Ainda a temática das limpezas

Ontem foi dia delas.

À falta da tal mulher lá tiveram as minhas mãos que se chegar à frente (evitem os trocadilhos jabardos oh faxa'vor!).
O grande drama é que se me partiu o pau. Parte-se-me assim de repente o pau, da esfregona, bem entendido.
Acabei por ficar com a sensação de estar a passar a pincel o chão da casa. Transformou-se a esfregona num pincelinho daqueles da barba.

Gostei da experiência. Não só dá muito jeito, como até faz bem às costas e vê-se o caruncho de mais perto.

5 comentários:

Mendonça disse...

Esse balde está com uma cor assustadora...Andas mesmo aflito!Vou falar com uma amiga do SEF para te arranjar alguém!

dvaz disse...

eu tb tenho um amigo do SEF que até costuma vir aqui ao blog. Mas esse, tenho para mim, que só deve usar as connections em prazer - perdão, proveito - próprio.

abraço oh mendoças! a vida corre?

Sara Lambelho disse...

O balde está coiso, mas o chão até ficou limpinho.

A-de-mirador disse...

P´ra já, esse pau era JÁ um pau remendado...e só quebrou pelo ponto mais fraco... como todos os paus !
Mas de facto está com um aspecto horrível.
Ainda bem que gostaste da experiência de cair de joelhos.
É uma alternativa e resolveste o problema ... !!!
E se "ajoelhou... (não) tem de rezar" ?

dvaz disse...

Como o caro Anónimo não percebe nada do que veio aqui dizer e faz assumpções sem me conhecer de lado nenhum o seu comentário foi eliminado. Ainda assim, muito obrigado pela visita. Sorte e saúde é o que eu desejo a esse "homem com experiência".